Transtorno do luto prolongado (extraído da CID-11)



"Transtorno do luto prolongado é um distúrbio no qual, após a morte de um parceiro, pai, filho ou outra pessoa próxima, há uma resposta persistente e generalizada de dor caracterizada pela nostalgia quanto à pessoa falecida ou preocupação persistente acompanhada por dor emocional intensa (por exemplo, tristeza, culpa, raiva, negação, reprovação, dificuldade em aceitar a morte, sentir que alguém perdeu uma parte de si mesmo, incapacidade de experimentar um humor positivo, frieza emocional, dificuldade em se relacionar com atividades sociais ou outras). A resposta à dor persiste por um período atipicamente longo após a perda (mais de 6 meses no mínimo) e claramente superior às normas sociais esperadas, devido ao contexto cultural e religioso do indivíduo. 


As reações de luto que persistem por períodos mais longos, embora dentro do que seria um período normativo de luto em um contexto cultural e religioso particular da pessoa, são vistas como respostas normais de luto e não recebem um diagnóstico. A alteração causa uma deterioração significativa nas áreas pessoal, familiar, social, educacional, ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento."


Fonte: CID-11, Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde, Décima Primeira Versão, 2018. Acessada na versão em espanhol em https://icd.who.int/browse11/l-m/es. Livre tradução pelo organizador deste site.


Observações importantes:

- O conteúdo transmitido neste site visa divulgar informações oficiais ou consensuais no campo da psiquiatria e áreas afins, não tendo caráter clínico ou terapêutico, e sim de divulgação de conhecimento mais assertivo. Caso deseje uma avaliação particular sobre alguma situação específica, procure um médico ou outro profissional de saúde mental;

- Os diagnósticos da CID-11 ou DSM-5 aqui apresentados não são feitos para o autodiagnóstico, e sim uma padronização para orientar profissionais da área de saúde. É preciso ter cuidado para não se identificar em demasia com algum diagnóstico lido, ou entender tais diagnósticos de maneira equivocada ou demasiadamente abrangente ou subjetiva. Para conclusões e tratamentos adequados, se for o caso, procure um profissional qualificado;

- A CID-11 entra oficialmente em vigor em primeiro de janeiro de 2022. Antes disso, a CID-10, lançada em 1990, veio a ser o guia oficial de diagnósticos da Organização Mundial de Saúde.